Arquitetura sinestésica: ambientes que estimulam sensações

Arquitetura sinestésica: ambientes que estimulam sensações

A missão da arquitetura sinestésica é criar ambientes que estimulem as sensações do proprietário, podendo ser com o cheiro, a música e até mesmo o toque nas texturas. A decoração dever ser mais preocupada em contribuir para que cada elemento faça essa imersão e para isso utilizam materiais como: fibras naturais, a madeira, o algodão, o linho e a palha que estimulam a textura e o toque.

Com a arquitetura sinestésica, elementos são incorporados ou criados em cada ambiente para que as pessoas possam explorá-los por meio dos cinco sentidos. Retornam ao natural utilizando plantas e materiais naturais dentro da casa com o objetivo de criar uma conexão com a casa e se sentir acolhido e confortável. Portanto, o aguçar os sentidos é crucial para que essa conexão seja completa.

Confira algumas dicas de como utilizar os sentidos para criar ambientes que se conectem com o proprietário:

Olfato: é o sentido que causa a primeira impressão, antes mesmo da visão. Um ambiente perfumado é essencial. As opções são variadas: utilize pot-pourris, difusores, velas… Flores e plantas são recursos fantásticos para perfumar o ambiente. Até mesmo o aroma de frutas na cozinha cria uma atmosfera cheirosa. Roupas de cama e toalhas bem lavadas e perfumadas fazem toda a diferença.

Tato: que sentido seria mais apaixonante que o toque? Não há nada mais gostoso do que sentir a maciez dos tecidos, a textura dos objetos e das plantas, a rugosidade das pedras e madeiras, o conforto dos estofados… Sinta o material dos objetos (se é liso, áspero, quente ou frio) cultive plantas. Provoque o tato, utilize texturas e materiais interessantes na sua decoração. As dicas são: veludos e tecidos diversos, pedras, tapetes com tramas acentuadas, madeiras, pastilhas de metal ou de vidro e plantas das mais variadas espécies.

Audição: os sons da sua casa geralmente determinam a sua personalidade. Para quem prefere um ambiente mais relaxante o barulhinho de água da fonte, o tintilar dos sinos de vento, ou até mesmo os estalos de uma lareira aconchegante podem ser uma ótima opção. Pra quem gosta de música, os estilos longe, jazz e MPB são as dicas valiosas para tornar a casa um lugar gostoso de estar.

Paladar: não são todos, mas existem certos ambientes que exploram o paladar como nenhum outro. A cozinha, por definição, faz aflorar sensações incríveis quando a relação entre olfato e visão foi bem resolvida no ambiente. Experimente utilizar uma vistosa cesta de frutas na sala de jantar, ou cores que estimulem o apetite (laranja, vermelho, etc), para criar uma sensação de sabores diferentes.

Visão: certamente o mais superestimado dos 5 sentidos. É com ela que percebemos o mundo e nos relacionamos com os outros. Crie espaços visualmente agradáveis, estabeleça ordem nas coisas e use cores que lhe agradem. Preste atenção ao equilíbrio entre o todo e os detalhes. Utilize este sentido para coordenar todas as outras sensações emanadas do seu lar.

Mesmo que não consiga, tente explorar todos os sentidos nos projetos. A boa arquitetura (e, por extensão, o bom design de interiores) é aquela que utiliza elementos que possam ser explorados pelos nossos 5 sentidos.

Não foque apenas na visão. O verdadeiro lar vai além do visual, da imagem. Ele transcende as aparências. É o espaço onde você se sente à vontade, relaxado, aproveita a vida com a esposa ou marido, e gosta de trazer os amigos para compartilhar os bons momentos.

 

Fonte: Lugar Certo

Comentários

comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário